Grafismo Grafismo

Vietnã, um caso de sucesso contra a COVID-19

22.07.2020

Por: Mell

Autor: Fernando Kokubun Revisão: Luciana Santana (@lucfsantana1812), Leopoldina Lavor (@lavordina), Rute Maria Gonçalves de Andrade 

Resumo: O Vietnã, que possui um PIB inferior ao do Brasil, implementou uma política agressiva desde o começo do ano para a contenção da COVID-19 em seu território. Com a experiência de ter passado por outras epidemias nos últimos vinte anos, a estratégia adotada permitiu que no momento tenham menos de 400 casos (julho de 2020) e nenhum óbito devido a COVID-19. Neste texto apresentamos brevemente qual foi a estratégia escolhida pelo Vietnã. 

A epidemia da COVID-19, que iniciou em dezembro de 2019 na China, e se propagou para, praticamente, todos os países, é um grande desafio para ser vencido. Após mais de seis meses, ainda não sabemos como tratar de forma efetiva a doença, apesar de existirem diferentes tentativas para reduzir as consequências fatais dos casos mais críticos. Uma possível vacina, embora com avanços, pelas estimativas mais otimistas, somente estaria disponível em 2021. Apesar de todas as dificuldades de enfrentamento a pandemia, existem países que conseguiram conter, de forma consistente, a propagação do vírus dentro de seus territórios. Como os casos da Nova Zelândia,Coréia do Sul, Alemanha, entre outros países, que infelizmente são poucos. No entanto, um caso pouco citado é o do Vietnã [1,2,3,4], um país com uma renda per-capita inferior aos dos três países citados como exemplos. 

O gráfico da figura 1 apresenta o número de casos por milhões de habitantes em relação ao produto interno bruto de cada país. Notamos que o Vietnã possui um PIB abaixo dos países utilizados como exemplo (incluímos o Brasil para efeito de comparação). 

O Vietnã tem uma população de aproximadamente 95 milhões e um número total de casos de COVID-19, inferior a 400, e sem óbitos registrados até o momento [4]. Quais foram as atitudes tomadas pelo governo do Vietnã para obter estes resultados excepcionais?

Figura 1. Gráfico de número de casos por 1 milhão versus produto interno bruto. (Fonte: wordindata)

A primeira ação do governo, foi a preparação e o planejamento. O país tinha uma experiência anterior com outras pandemias e, logo que foram informados sobre a epidemia na vizinha China, medidas protetivas foram implementadas. A primeira ação foi a de medir a temperatura de viajantes que vinham da região de Wuhan na China (implementado em 3 de janeiro de 2020 [2]), além da composição de um comitê nacional e locais para a COVID-19 em 11 de janeiro [2]. Estas primeiras ações foram importantes para a preparação do país para enfrentar a pandemia. 

Com a confirmação de dois casos em 23 de janeiro [2,4], de um pai e seu filho que retornavam de Wuhan, em 25 de janeiro o governo cancelou todos os vôos provenientes de Wuhan. Algumas escolas foram fechadas em 31 de janeiro e, já em 08 de fevereiro, houve a determinação para fechamento de todas as escolas. Medidas obrigatórias mais agressivas para evitar a entrada do vírus no país começaram a ser implementadas a partir do dia 8 de fevereiro de quarentena para todos os que entravam no Vietnã. Neste período, já eram 20 casos confirmados no país. Logo após um mês o número de casos voltou a aumentar. Com o objetivo de conter a evolução dos casos confirmados, em 17 de março foi implementada a suspensão completa da entrada de estrangeiros no país [2] – nesta data o número de casos eram cerca de 140 (ver figura 2, fonte [2] ). 

Figura 2: Gráfico de números de casos diários, número acumulado de casos e as datas de implementação de procedimentos para a contenção da pandemia (fonte [2]).

Internamente, Iniciou-se uma forte divulgação de informações sobre os perigos da COVID-19 , com a utilização dos mais diversos meios de comunicação (desde simples cartazes até utilização de transmissões de TV e rádio). 

Testes e rastreamento também foram fundamentais, com um nível de rastreamento que indicava não apenas as pessoas que tiveram contato com alguém contaminado, mas até o terceiro nível de contato. (Se A estava infectado e teve contato com B, e B teve contato com C e C teve contato com D, a pessoa D também era rastreado). As pessoas nestes casos eram colocadas em quarentena. Existe registro que uma vila inteira, com cerca de 10 mil habitantes, foi colocada em isolamento por vinte dias devido a 7 casos registrados [4]. 

A utilização de agentes comunitários, que visitaram as residências com pessoas contaminadas, permitiu um controle mais rápido de possíveis redes de propagação. Estes agentes comunitários registravam a evolução dos casos, ajudando a manter o controle da efetividade da quarentena. 

Estas medidas de contenção, embora radicais, ao estarem alinhadas com campanhas de divulgação de informações sobre o vírus, sendo implementadas rapidamente no país, são medidas eficazes para o enfrentamento da crise sanitária. Atualmente (julho de 2020), não existe registro de transmissões comunitárias. Os novos casos registrados tem origem em pessoas contaminadas fora do Vietnã, demonstrando a efetividade dos procedimentos 

adotados pelo país para erradicar o vírus no território [4]. As medidas como distanciamento social, a obrigatoriedade de uso de máscaras e o monitoramento ainda estão mantidas, ao mesmo tempo em que as atividades estão retornando a normalidade, com a reabertura de escolas e do comércio. 

É interessante que a grande capilaridade do Sistema Único de Saúde brasileiro (SUS) e a existência de uma rede de agentes comunitários (que infelizmente tem sido pouco acionada) como no Vietnã, poderiam ter permitido um controle mais eficiente da pandemia no Brasil. 

Na questão do impacto na economia, quais seriam as consequências destes procedimentos duros aplicados no Vietnã? De acordo com o Fundo Monetário Internacional [5] “(…) o impacto econômico é esperado ser mais suave em comparação a outros países da região (….) com o fim das medidas de confinamento, o comércio retomou suas atividades, e os consumidores voltaram para os restaurantes e para as compras”. 

Entretanto, o Fundo Monetário internacional (FMI) ressalta que a situação de uma recuperação mais robusta da forma como os outros países, que são parceiros comerciais do Vietnã, venham a se recuperar após a pandemia, pode ser considerada, portanto, um exemplo de como medidas duras como o confinamento não levam necessariamente ao colapso da economia de um país. 

E este modelo aplicado no Vietnã, seria aplicável em outros países? Possivelmente não de forma completa, afinal cada país tem suas especificidades, no entanto, as ações tomadas pelo Vietnã através do controle imediato da disseminação do vírus, podem e devem ser usadas como exemplos pelos demais países como modelo de medidas eficazes, com um grande número de testagem, rastreamento, identificação de locais de propagação e isolamento de casos suspeitos, são exemplos possíveis de serem aplicados em muitos países. No caso do Brasil, os agentes comunitários, que conhecem as realidades de cada região, teriam sido úteis para a contenção da pandemia na sua etapa inicial. A importância da antecipação e planejamento não pode ser ignorada, sob o risco de atrasarmos o final do confinamento [6] ou mesmo perdermos o controle da pandemia, com consequências drásticas. Exemplos como as ações tomadas pelo Vietnã são importantes para que não cometamos os mesmos erros em futuras pandemias e até nas próximas ondas de contaminação da Covid-19. 

Referencias 

[1] Como o Vietnã conseguiu vencer o coronavírus, apesar do sistema de saúde precário. BBC News Brasil, 9 de maio de 2020. https://www.bbc.com/portuguese/internacional-52584143 

[2] COVID-19 in Vietnam: A lesson of pre-preparation. Ha-Linh Quach*, Ngoc-Anh Hoang, Journal of Clinical Virology, 127, 104379, 2020. 

[3]Emerging COVID-19 success story: Vietnam’s commitment to containment. Todd Pollack et all, Wordindata, 30 junho, 2020. https://ourworldindata.org/covid-exemplar-vietnam 

[4] Zero COVID-19 Deaths in Vietnam. Christina Potter, Outbreak Observatory, 9 de julho de 2020. https://www.outbreakobservatory.org/outbreakthursday-1/7/9/2020/zero-covid-19-deaths-in-viet nam 

[5] Vietnam’s Success in Containing COVID-19 Offers Roadmap for Other Developing Countries. Era Dabla-Norris et all, Fundo Monetário Internacional, 29 de junho de 2020. https://www.imf.org/en/News/Articles/2020/06/29/na062920-vietnams-success-in-containing-cov id19-offers-roadmap-for-other-developing-countries [6] For Each Day’s Delay in Social Distancing, a COVID-19 Outbreak Lasts Days Longer. University of Texas News, 19 de julho de 2020. https://news.utexas.edu/2020/06/01/for-each-days-delay-in-social-distancing-a-covid-19-outbrea k-lasts-days-longer/

Grafismo Grafismo

Compartilhe nas suas redes!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts
relacionados

Epidemias e pandemias no Brasil contemporâneo

“Vacina feita às pressas”? Parte 2

Relatório ITpS sobre a Ômicron no Brasil(23) Sem

Grafismo
Grafismo Grafismo