Grafismo Grafismo

Recesso de final de ano (2022 -> 2023) pode estar afetando os dados de covid-19 do Brasil

05.01.2023

Por: Isaac Schrarstzhaupt

Isaac Schrarstzhaupt

Coordenador na Rede Análise ( @redeanalise); Analista de Dados / Pesquisador; TEDx speaker; Pessoa com autismo; O sobrenome pronuncia CHUÁRTI ZÁUPITI!

Oi, pessoal! Dados de covid-19 voltaram a ser atualizados no Brasil, mas com um comportamento "estranho".

Por que digo isso? Pois vemos uma queda bem brusca e quase que “instantânea” nas notificações de casos, o que pode ter a ver com o recesso.

Olhando o gráfico acima, conseguimos ver a queda pela média móvel da taxa de crescimento de casos acumulados, mas quando aplicamos um “zoom” no gráfico de casos (abaixo), vemos com mais facilidade que a queda foi bastante brusca e “instantânea”:

Torço muito para que seja uma queda real de casos mas é importante ficar atento a estes processos específicos de recesso, troca de governo e todos que podem vir a influenciar notificações, principalmente de casos (que oscilam mais que óbitos).

Quais são outros fatores que me deixam mais alerta? Quando analisamos por região, vemos um aumento ainda bastante considerável na média móvel de novos óbitos notificados, sem que ela dê sinais de que vá reverter (pelo menos por agora).

Vejam a região Norte, por exemplo:

A mesma coisa na região Centro-Oeste. Aqui, além dos óbitos, até os casos voltaram ter aumento na média móvel da taxa de crescimento:

Na região Sudeste, a tendência de óbitos dos últimos 20 dias ainda é de aumento (mas a última semana teve menos notificações que a anterior: novamente torcendo muito para que seja o início do final real dessa onda).

Na região Sul, já vemos um aumento de óbitos sendo notificados, inclusive na última semana:

A cobertura vacinal do Brasil para a terceira dose (primeiro reforço) da vacina contra a covid-19 está em 56,95%, estagnada, ou seja, praticamente não cresce.

Vemos que temos estados com coberturas bem altas e outros bem baixas, com bastante desigualdade entre as regiões:

Além disso, temos visto variantes com sinal de maior transmissibilidade aparecendo pelo mundo, como a XBB.1.5 que a @mellziland nos mostra nesse super fio (vale muito a pena ler tudo):

Importante também destacar essa parte do fio da @mellziland que mostra que, nos dados, ainda não vemos sinal da XBB.1.5 no Brasil, mas que ela pode estar por aqui sem conseguirmos detectar ainda:

Outro dado: ao olhar para as hospitalizações de pacientes com covid-19 confirmada nas UTIs do estado de SP vemos que o número, que vinha caindo lentamente desde o início de dezembro, agora parece parar de cair e estabilizar em um patamar superior ao de antes dessa última onda:

Quando analisamos essas hospitalizações mais a fundo, vemos que são algumas regiões que estão tendo aumentos que continuam agora no início de 2023, como por exemplo o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília:

Os DRS de São João da Boa Vista e São José do Rio Preto também nos mostram esse aumento que pode estar freando o dado total de hospitalizações de pessoas com covid-19 confirmada nas UTIs do estado de SP:

Em resumo: ainda estamos vendo números de óbitos consideravelmente altos (principalmente se levando em conta que hoje temos a existência de vacinas e a existência de informação mais precisa a respeito da prevenção) e a onda PODE estar caindo, ou pode ser queda por recesso.

Qual dado que corrobora a hipótese desta queda ser artificial?

Vimos a mesma queda acontecendo na virada de 2020 para 2021, onde também tivemos trocas de governo somadas ao recesso.

Essa queda ocorreu apenas nos casos:

Quando olhamos o gráfico de óbitos da mesma época (virada de 2020 para 2021), não conseguimos enxergar a mesma queda que vimos nos casos.

Por isso esse período sempre tem de ser visto “com um pé atrás” devido a todas as dificuldades que um recesso+troca de governo trazem.

Outro dado bastante importante (farei um tweet específico disso para não ficar apenas aqui no final do fio):

Ao estimar o número de pessoas no Brasil que não tomaram nenhuma dose da vacina, vemos números BEM altos, o que preocupa em relação às hospitalizações e aos óbitos:

Como a @mellziland muito bem disse: mais infecções significam mais oportunidades de mutação para o vírus.

Tendo isso em mente: atualizemos nossa carteira de vacinação e nos cuidemos em relação a etiqueta respiratória: máscaras em locais fechados e se tiver sintomas!

Para acessar os paineis deste fio:
– Casos, Óbitos e Taxa de Crescimento do Brasil e do mundo: http://bit.ly/Rede_CasosObitosTaxa
– Hospitalizações de RS e SP: http://bit.ly/Rede_HospitaisRSSP
– Vacinação no Brasil:

http://bit.ly/Rede_Vacinas

Aproveito e agradeço também ao @wlcota que sempre ajuda muito na extração e agrupamento dos dados de vacinação do @minsaude para que possamos trazer a vocês o painel de vacinação de todos os estados e municípios do Brasil! Um abraço e feliz 2023 pra todo mundo! //fim

Originally tweeted by Isaac Schrarstzhaupt (@schrarstzhaupt) on 5 de January de 2023.

Grafismo Grafismo

Compartilhe nas suas redes!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts
relacionados

Um metro, dois metros ou mais? Afinal, qual é o d

Rt e a dinâmica de uma epidemia

Queimadas e COVID-19

Grafismo
Grafismo Grafismo