Grafismo Grafismo

Novo surto de Marburg em Guiné Equatorial. Devemos nos preocupar?

28.03.2023

Por: Mell

Mellanie Fontes-Dutra (Mell)

Biomédica, Neurocientista (mestra e doutora), Professora @Unisinos e #SciComm em @redeanalise. Ela/Dela | #DefendaoSUS

🚨Mais informações sobre o surto do vírus #Marburg em Guiné Equatorial🇬🇶: a @WHO informou que pode estar havendo cadeias de transmissão não detectadas que colocam o risco para muito alto de epidemia no país africano.

Há risco global? 👇🧶

Ainda no início desse ano, comentei do surto do vírus #Marburg que Guiné Equatorial está enfrentando. Comento sobre o vírus, seus sinais e sintomas e outras informações importantes aqui nesse fio:

Em 2021 e 2022, o vírus havia sido detectado em Guiné🇬🇳 e Gana🇬🇭, respectivamente, e agora Guiné Equatorial🇬🇶.

Em outros momentos, houve detecção do #Marburg em outros países africanos, como Mali, Nigeria e Senegal, além de surtos em Guiné.

O diretor da @WHO , @DrTedros comentou recentemente sobre a detecção dos primeiros casos de #MarburgVirus na Tanzania🇹🇿, com a Organização já providenciando suporte para o governo local com testagem, tratamentos e cuidados. É o 2º surto em 2023 na África

Dada a dispersão para outras províncias, é plausível considerar que há transmissão comunitária na região do #MarburgVirus , daí o risco alto para uma epidemia Em Guiné Eq🇬🇶.

Segundo a @WHO "há risco moderado em nível regional e baixo em nível global"

https://www.who.int/emergencies/disease-outbreak-news/item/2023-DON449

Segundo análises🧬 do Instituto Pasteur , "o vírus está intimamente relacionado com uma cepa de Marburg que desencadeou o maior surto de Marburg registrado, em Angola em 2004 e 2005. Durante esse surto, 252 pessoas foram infectadas e 227 delas morreram"

Ainda não sabemos se os surtos de Guiné Eq🇬🇶 e Tanzânia🇹🇿 estão ligados "geneticamente" (ou seja, se é """o mesmo tipo do vírus""" se transmitindo nos dois locais).

Em comparação com o #Ebola, que pertence a mesma família do #Marburg (Filoviridae), os surtos de Marburg costumam ser menores, mas preocupa a possibilidade de alastramento pra regiões mais distantes. A Malásia já intensifica a vigilância em suas fronteiras

Ainda, Guiné Eq🇬🇶 faz fronteira com Gabão e Camarões🇨🇲, e o cuidado nessas fronteiras precisa ser redobrado

Ainda não temos vacinas aprovadas contra o #MarburgVirus mas há desenvolvimento de candidatas que precisam ser avaliadas nos estudos clínicos.

Mesmo que o risco global seja baixo, não dá pra ser descartado, especialmente se atingir outros países.

“Marburg é altamente virulento, mas pode ser efetivamente controlado e interrompido com a implantação imediata de uma ampla gama de medidas de resposta a surtos” – @WHO

Suspicious Red Flag GIF by ABC Network

Portanto, temos que olhar pra esses surtos sem alarmismo, mas com muita atenção e consciência de que a hora de interrompê-los é agora, e que as pesquisas de tratamentos antivirais e métodos de prevenção (como vacinas e cuidados) PRECISAM de CONSTANTE INVESTIMENTO!

Quero terminar com uma reflexão do @FSpilki na matéria do @andre_biernath:

"O avanço da urbanização, das conexões internacionais e os próprios surtos recentes de ebola demonstram que a disseminação de vírus como o marburg ficou mais fácil"

https://www.bbc.com/portuguese/articles/cn47m9z2mz9o

Outro ponto importante de lembrar: é importante fortalecer a vigilância e estar alerta, mas fazer restrições ao país que enfrenta esse surto não é aconselhável, segundo a própria @WHO . O país precisa de ajuda, não de punição por estar sofrendo algo sério

http://who.int/emergencies/disease-outbreak-news/item/2023-DON449

Originally tweeted by Mellanie Fontes-Dutra, PhD (@mellziland) on 27 de March de 2023.

Grafismo Grafismo

Compartilhe nas suas redes!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts
relacionados

Reabertura das Escolas?

Nanoesponjas contra a SARS-CoV-2

Relatório ITpS sobre a Ômicron no Brasil(23) Sem

Grafismo
Grafismo Grafismo