Grafismo Grafismo

Mais uma atualização dos dados da covid-19 (10/01/2023). Como estamos no Brasil e no mundo?

10.01.2023

Por: Isaac Schrarstzhaupt

Isaac Schrarstzhaupt

Coordenador na Rede Análise ( @redeanalise); Analista de Dados / Pesquisador; TEDx speaker; Pessoa com autismo; O sobrenome pronuncia CHUÁRTI ZÁUPITI!

Olá, pessoal! Em meio a esse ataque à nossa democracia, é importante lembrar que temos uma onda de covid-19 em andamento.

O recesso dificulta um pouco a análise dos dados, mas vamos ver como as coisas estão nesse momento (dados até 10/01/2023)?

Quando olhamos o Brasil como um todo, vemos que tanto a curva de casos quanto a de óbitos está em queda. Torço DEMAIS para que seja uma queda real, mas o fato de estarmos em recesso me deixa com o pé atrás (já mencionei isso no fio passado).

Um dado que também mostra queda: óbitos notificados no SIVEP-GRIPE. Como o SIVEP também depende de notificação, o período de recesso pode afetar.

Vejam: foram notificados 7.299 óbitos por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), por todas as causas, de 01/10/22 até 01/01/23:

Destes 7.299 óbitos totais por SRAG, 4.406 tiveram como causa a covid-19.

Percebam que no final de dezembro temos uma queda.

Torcendo para que se mantenha!

Algumas regiões do Brasil vem demonstrando aumento na tendência de crescimento de óbitos notificados por covid-19, como por exemplo a região Centro-Oeste.

Vejam a curva de óbitos dos últimos 20 dias:

A região Sul também vem demonstrando um aumento de óbitos constante. Teve um lançamento alto de casos também no dia 10/01/2023 (o qual torço para que seja represamento, já que é uma terça-feira, o dia que normalmente traz o represamento do final de semana):

Já o Nordeste vem demonstrando uma queda significativa tanto em casos quanto óbitos.

Novamente reforço: é interessante esperar até o final de janeiro para termos uma confirmação.

E, sempre lembrando: temos uma variante com aparente alta transmissão chegando (a XBB.1.5).

Região Sudeste também vem com uma queda brusca de casos e óbitos desde a virada do ano. Eu torço para que isso seja real, mas no próximo tweet mostrarei um dado que me faz ficar “com o pé atrás”:

Aqui temos a curva de pessoas com covid-19 em UTI no estado de SP (que representa uma parte significativa da região Sudeste).

Vejam que a queda está desacelerando:

Além disso:
Percebam que em 23/10/22 a média era 258 pessoas com covid-19 em UTI. //9

Em 28/11/22 foi para 931 pessoas (quase quadruplicou!).

Agora está em 635. Se voltar a aumentar a partir disso com a chegada da XBB.1.5, podemos ter “onda em cima de onda”.

A Alemanha é um exemplo disso acontecendo. Vejam a curva de novos óbitos por covid-19 notificados por dia de todo o período da pandemia.

Percebam que nos últimos sete meses o número vem aumentando levemente e constantemente (“onda em cima de onda”). Isso não é NADA bom.

Quando vemos a Europa como um todo, percebemos uma tendência muito similar: um aumento leve e constante de óbitos de pessoas com covid-19.

A doença está constantemente e permanentemente entre nós: a tal endemia que sempre dissemos que não era boa.

Outro exemplo onde fica bem fácil de ver: lembram da Dinamarca, que causou alguns debates quando decidiu relaxar praticamente todas as suas restrições?

Vejam no gráfico o relaxamento das restrições e como ficou a curva de óbitos desde então.

É considerado aceitável?

Outro lugar com um número constante de óbitos e um comportamento de "onda em cima de onda" nas hospitalizações: Estados Unidos.

Vejam a curva de óbitos dos últimos sete meses. Mesma coisa: um número muito acima do aceitável ao se comparar com a gripe (por exemplo).

Aqui inclusive deixo um link para o último fio que fiz em 05/01, mostrando esse comportamento estranho do recesso e mostrando que na virada de 2020 para 2021 tivemos essa “queda” na época de férias:

O que precisamos:
– Campanhas firmes de atualização vacinal (todo mundo tem de tomar todas as doses recomendadas, deixar a carteirinha em dia);
– Campanhas de educação sobre etiqueta respiratória( uso de máscaras quando tiver sintomas, em locais fechados ou com muita gente) //16

É importante termos em mente que é possível termos uma "onda em cima de onda" com as festas de final de ano somadas à chegada de uma variante que vem demonstrando um potencial de transmissão bem alto.

Cuidem-se, o ano está recém começando! //fim

Links para os paineis:
– Casos, óbitos e taxa de crescimento (Brasil e mundo): http://bit.ly/Rede_CasosObitosTaxa
– Vacinação no Brasil: http://bit.ly/Rede_Vacinas
– Hospitais no RS e SP: http://bit.ly/Rede_HospitaisRSSP
Também temos o agregador:

http://bit.ly/Rede_Paineis

Originally tweeted by Isaac Schrarstzhaupt (@schrarstzhaupt) on 11 de January de 2023.

Grafismo Grafismo

Compartilhe nas suas redes!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts
relacionados

É Fake News ou Evidência?

A corrida de uma vacina de mRNA contra a COVID-19:

Atualizações Brasil Monkeypox – 07/11/2022

Grafismo
Grafismo Grafismo